terça-feira, 11 de novembro de 2008

Movimento Defenda a ORLA! visita a Caldas Júnior


Uma comissão de representantes do Movimento Defenda a Orla visitou na tarde de ontem(10/11) a Empresa Jornalística Caldas Júnior, sendo recebida pelo editor-chefe do Correio do Povo, o jornalista Telmo Flor. O objetivo foi destacar o engajamento do jornal na defesa da lei e da preservação da área como um espaço público. Também foi salientada a adesão ao Movimento de intelectuais, artistas, profissionais de nível técnico, estudantes e professores.

“A posição do jornal é fruto da convicção dos jornalistas e da direção da Caldas Júnior, que optaram em encampar o movimento a partir de editoriais”, anuncia Telmo Flor, ao garantir que “a opinião de uma parcela expressiva da população dá mais estímulo à empresa para prosseguir na divulgação de notícias e de artigos que defendam a moralidade no uso do dinheiro público e privado”. E afirmou: “Faremos todo o esforço para que o projeto não prossiga desta forma, mas é a mobilização que pode evitar a aprovação”.

Telmo Flor se comprometeu a divulgar as ações promovidas pelo Movimento Defenda a Orla, em especial na próxima quarta-feira, dia 12, quando o projeto Pontal do Estaleiro poderá ser votado pela Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

Para Cesar Cardia, do Grupo de Comunicação do Movimento, a repercussão das ações e das possíveis conseqüências que o projeto pode gerar para a cidade está sendo ampliada com o apoio do Correio do Povo. O secretário do Fórum Municipal de Entidades, Paulo Guarnieri, observa que a possível aprovação do projeto induz a uma nova lógica de uso da Orla do Guaíba.

Apoios “de peso”

Os representantes aproveitaram a oportunidade para anunciar, em primeira mão, ao Correio do Povo, a instauração de Inquérito Civil, por parte da promotora de Meio Ambiente do Ministério Público, Ana Maria Marchezan, também nesta segunda-feira. “Considerando a iminência de votação do projeto e o fato de haver uma grande probabilidade de que ele venha a ser aprovado, instauramos inquérito para apurar os fatos denunciados”, diz a promotora, ao reafirmar que esta medida dá prosseguimento à ação civil pública impetrada pelo arquiteto e urbanista Nestor Nadruz.

Para a vice-presidente da Agapan (Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural), Sandra Ribeiro, “a notícia é espetacular. O Ministério Público, fiel a sua trajetória de cumprir a Constituição e fazer justiça ambiental, é mais um valioso aliado para a nossa causa”, destaca Sandra.

Entre as entidades que já manifestaram publicamente seu repúdio ao projeto Pontal do Estaleiro estão Fórum Municipal de Entidades, Agapan (Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural), Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho, Amabi (Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Independência), Movimento Viva Gasômetro, Associação Moinhos Vive, Ambi (Associação dos Moradores do Bairro Ipanema), Ama (Associação dos Moradores da Auxiliadora), CCD (Centro Comunitário de Desenvolvimento da Tristeza, Pedra Redonda, Vilas Conceição e Assunção), CMVA (Conselho Gestor dos Moradores da Vila Assunção), Defender (Defesa Civil do Patrimônio Histórico), Associação dos Moradores da Cidade Baixa, Associação de Moradores do Centro de Porto Alegre, Associação Comunitária Jardim Isabel Ipanema, Amobela (Associação dos Moradores da Bela Vista), Ceucab/RS (Conselho Estadual da Umbanda e dos Cultos Afro-Brasileiros do RS), AMSC (Associação dos Moradores do Sétimo Céu), Movimento Petrópolis Vive, UPV (União Pela Vida), ONG Solidariedade, Movimento Higienópolis Vive, Amachap (Associação dos Moradores do Bairro Chácara das Pedras), Instituto Biofilia, InGá Estudos Ambientais, NAT/Brasil (Núcleo Amigos da Terra), DCE/UFRGS, Diretórios Acadêmicos da Fabico, da Geografia, Arquitetura, História e da Biologia, Instituto dos Arquitetos do Brasil/RS, Sindicato dos Engenheiros do RS, Associação dos Geógrafos Brasileiros, seccional Porto Alegre, Associação Chico Lisboa e Asae (Associação dos Servidores da Emater/RS-Ascar).

Outras adesões podem ser subscritas através do abaixo-assinado eletrônico www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/1571.

Por Adriane Bertoglio Rodrigues, especial para o Movimento Defenda a Orla!

3 comentários:

  1. alguém sabe o horário da votação?

    ResponderExcluir
  2. Às 14 horas, na Câmara Municipal de Porto Alegre.

    Com TELÃO para quem não conseguir lugar nas galerias.

    ResponderExcluir
  3. tomara que não seja só uma forma de o jornal requerer mais anúncios da construção civil. ficaremos de olho vivo!

    ResponderExcluir