terça-feira, 25 de novembro de 2008

Plano de soberania de Nelson Jobim é atrasado e obsoleto


O Plano de Defesa Nacional do ministro Nelson Jobim é atrasado e obsoleto, porque parte de conceitos superados de soberania, como os conceitos militaristas e armamentistas, conforme os interesses do complexo industrial-militar dos países hegemônicos.

Para a cidadania brasileira importam outras esferas de soberania: a soberania alimentar, a soberania energética, a soberania no desenvolvimento sustentável, e a soberania do Poder Executivo sobre políticas públicas que contemplem as maiorias nacionais e não somente segmentos bem identificados como o do capital financeiro (presidente do Bacen, Henrique Meirelles), do agronegócio (ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes) , e setores da indústria automobilística (ministro Miguel Jorge), que se dão ao luxo de ter agentes públicos privilegiados no coração mesmo do lulismo de resultados.

Aliás, o próprio ministro Nelson Jobim representa um entrismo consentido de setores conservadores no núcleo decisório do lulismo planaltino, que conspiram contra as várias esferas da soberania cidadã. O Plano Estratégico jobinista é um atestado de heteronomia e submissão brasileira às determinações e interesses do nosso capitalismo associado e dependente.

Artigo completo no Diário Gauche.

Nenhum comentário:

Postar um comentário