quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Mensagem de M. Moore a Obama: se não sai do Afeganistão, devolva o prêmio Nobel

O cineasta e escritor estadunidense Michael Moore mandou uma mensagem ao presidente Barack Obama sugerindo que o mandatário devolva seu Prêmio Nobel da Paz caso não retire forças militares do Afeganistão. A tradução é do sítio Adital.

Estimado presidente Obama, que bom que tenha sido reconhecido como um homem de paz. Seus rápidos pronunciamentos sobre o fechamento de Guantánamo; trazer as tropas do Iraque para casa; seu desejo de um mundo livre de armas nucleares; admitir aos iranianos que derrocaram seu presidente eleito democraticamente em 1953; o pronunciamento de um grande discurso ante o mundo islâmico no Cairo; eliminou esse termo inútil de "Guerra contra o Terror"; que tenha posto fim à tortura, tudo isso nos fez sentir um pouco mais seguros, considerando o desastre dos últimos oito anos.

Em oito meses, o senhor fez um giro e conduziu esse país em uma direção muito mais saudável. Porém...

A ironia de que tenham lhe outorgado esse premio no segundo dia do nono ano do que se está convertendo rapidamente em sua guerra no Afeganistão não passou despercebida a ninguém. O senhor está realmente em uma encruzilhada. O senhor pode escutar os generais e expandir a guerra (somente para dar lugar a uma previsível derrota) ou pode declarar o término das guerras de Bush e trazer todas as tropas para casa, agora. Isso é o que um verdadeiro homem de paz faria. Não há nada de mal em que o senhor faça o que o último tipo não pode fazer – a captura do homem ou dos homens responsáveis pelos assassinatos em massa de 3.000 pessoas no dia 9 de novembro. Porém, NÃO PODE FAZÊ-LO COM TANQUES E TROPAS.

O senhor está perseguindo um criminoso, não a um exército. O senhor não utiliza um cartucho de dinamite para desfazer-se de um rato. Os talibãs são outra coisa. Isso é um problema que deve ser resolvido pelo povo do Afeganistão – como nós fizemos em 1776, os franceses em 1789, os cubanos em 1959, os nicaragüenses em 1979 e a população de Berlim (leste) em 1989. Uma coisa é certa, todas as revoluções levadas a cabo por pessoas que desejam ser livres, em última instância, têm que alcançar a liberdade por si mesmos. Outros podem ser solidários; porém, a liberdade não pode ser entregue desde o assento dianteiro do Humvee de outra pessoa.

Agora, o senhor tem que finalizar nosso envolvimento no Afeganistão.
Se o senhor não o faz, não terá outra opção que devolver o prêmio a Oslo.

Saudações, Michael Moore.

P.S.: Sua oposição passou a manhã atacando-o por trazer essa boa vontade a nosso país. Por que eles odeiam tanto aos Estados Unidos?

Tenho a impressão de que se o senhor descobrisse a cura contra o câncer nesta tarde, eles o denunciariam por destruir a livre empresa; porque os centros do câncer teriam que fechar. Existem outros que dizem que o senhor ainda não fez nada para merecer esse prêmio.

No que me concerne, somente o fato de que o senhor tenha se oferecido para caminhar em um campo minado de ódio e tentar desfazer o dano irreparável que o último presidente causou, não somente é apreciado por mim e por milhões de pessoas, mas também é um ato de verdadeira coragem. Por isso, o senhor obteve o prêmio. O mundo inteiro depende dos Estados Unidos e do senhor para, literalmente, salvar esse planeta. Não os desaponte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário