domingo, 26 de outubro de 2008

Folha denuncia uso da máquina em campanha de Fogaça

A menos de 48 horas da votação, a Prefeitura de Porto Alegre distribuiu bônus para a compra de casas a moradores afetados por uma obra na periferia da cidade. A Folha obteve cópia de e-mails em que assessores da prefeitura dizem que interromper as indenizações teria impacto na eleição. O prefeito José Fogaça (PMDB) concorre à reeleição.

As indenizações começaram a ser pagas em 4 de setembro e pelo menos 34 famílias - 8 delas ontem - receberam bônus para a compra de imóveis (de R$ 35 mil a R$ 40 mil). Os pagamentos fazem parte de um programa - bancado pela prefeitura, pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e pela União - que prevê o reassentamento de 1.680 famílias que vivem em áreas de risco.

Para deixar o local, as primeiras 225 famílias removidas puderam optar entre receber casas (74) em um novo conjunto habitacional ou indicar imóveis a serem pagos com o bônus (151). Em setembro, gestores do programa perceberam que ao menos 12 casas indicadas pelos indenizados tinham problemas burocráticos.

"Parar as indenizações será desastroso para a campanha", escreveu Rodrigo Kunde Maldini, assessor jurídico da Secretaria de Gestão, num e-mail, em 24 de setembro, para o secretário interino de Gestão, Virgílio Costa (PTB), e para o chefe da assessoria jurídica da pasta, Maurício Gomes da Cunha.

A campanha do PMDB diz tratar "de um assunto do município sem relação com a eleição". A Secretaria de Gestão afirma que "a prefeitura não avaliza este tipo de procedimento". Costa e Maldini não se manifestaram. Cunha negou que as indenizações tenham sido usadas eleitoralmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário